Eun-Me Ahn, dançarina coreana, apresenta Dancing Grandmothers na Bienal Sesc de Dança - Foto: Young-Mo Choe

Já começou e vai até 22 de setembro a Bienal Sesc de Dança, com espetáculos que, desta vez, ocorrem além de Campinas, onde nasceu o projeto, também na capital paulista e em Ribeirão Preto. O destaque, a coreana Eun-Me Ahn, faz apresentações em São Paulo de duas performances que já rodaram o mundo: Dancing Grandmonthers (Sesc Vila Mariana, dia 19, e Teatro Municipal de Ribeirão Preto, 25) e Let me Change your Name (Sesc Vila Mariana, 21).

Eun-Me Ahn só foi descoberta fora de seu país em 2013, quando se apresentou pela primeira vez na Europa. No palco, ela se junta a mulheres de sua idade e a jovens, misturando desde a canção folclórica sul-coreana, rural, até a invasão da música eletrônica. A performance é fortemente visual, tão eletrizante quanto uma pista de dança ou uma rave, mas nada similar ao K-pop. As performances cênicas trazem questões contemporâneas, como as identitárias e as transformações políticas.

Outro espetáculo da Bienal que vem para a capital paulista é Normal (Sesc Consolação, 26), da companhia Alias. A coreografia é do brasileiro Guilherme Botelho, que criou a companhia baseada na Suíça. As performances dos espetáculos de Botelho recorrem a movimentos simples, num intenso andar, correr, rastejar e parar para reiniciar tudo de novo, formando uma linguagem altamente complexa e hipnotizante.

Programação completa em Bienal Sesc de Dança

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome