A ocupação do Itaú Cultural revê a vida e a obra de Eduardo Coutinho - Foto Divulgação

Do jovem estudante no Institut des Hautes Études Cinematographiques, em Paris, com uma bolsa de estudos, até o conceituado mestre de filmes como Cabra marcado para morrer e Edifício Master, a vida e as fases criativas do cineasta Eduardo Coutinho (1933-2014) são objeto de uma grande ocupação artística que o Itaú Cultural (Avenida Paulista, 119) dedica a um notável a partir desde dia 2 de outubro, às 20h.

Mais influente documentarista brasileiro da virada do século 20 para o século 21, mestre de outras gerações, como a de João Moreira Salles e Eduardo Escorel (que também foram seus colaboradores), o paulistano dos Campos Elíseos Eduardo Coutinho afirmou a vontade de, mais que uma estética, refundar a questão da ética no olhar documentarístico. Não apenas contra a suposta ideia de neutralidade, mas neutralizando-a também.

A sua vida e obra compõem a 47ª edição do programa Ocupação, formada por uma exposição, lançamento de livro, exibição de filmes, um hotsite, uma masterclass e um curso. O livro que lastreia a trajetória do cineasta, As Sete Faces de Eduardo Coutinho, de Carlos Alberto de Mattos, uma biografia (o cineasta não gostava desse nome) do diretor, é uma edição conjunta da editora Boitempo, Itaú Cultural e Instituto Moreira Salles.

Coutinho tratou inicialmente de temas fechados, como o poder no campo, com filmes como Cabra Marcado Para Morrer e Theodorico, o imperador do sertão; e a religiosidade popular, com Santo Forte, Santa Marta, Os romeiros de Padre Cícero e Fio da Memória. Aos poucos, a voz coletiva foi se sobrepondo às intenções do cineasta, um desejo mais do que uma rendição. Até novembro, a programação Terças de Cinema do Itaú Cultural é também dedicada a Coutinho, com sessões às 17h e às 19h. A programação começa em 1º de outubro – um dia antes da abertura da exposição –, com Le Téléphone, obra de seis minutos realizada por Coutinho quando era estudante de cinema.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome