O que mantém um home vivo?
O que mantém um home vivo? Foto: Diego Fortes

Renato Borghi, ator de extensa e premiada carreira no teatro e na televisão, volta a Bertolt Brecht em 2019. Com Esther Góes, sua mulher, montou a peça O Que Mantém um Homem Vivo?, em 1973, e participou de uma remontagem nove anos depois. Ela parte de excertos de textos (como Terror e Miséria no Terceiro Reich, Santa Joana dos Matadouros e A vida de Galileu Galilei) nos quais o dramaturgo alemão discute, em cenas distintas, temas como a bondade, a ciência, a justiça e o amor.

As esquetes variam do cômico ao dramático, mas todas com forte componente de reflexão. Borghi contracena com Georgette Fadel e Elcio Nogueira Seixas. Peças encenadas durante a ditadura, com uma predileção pelos escritos de Brecht, vêm sendo remontadas, não por acaso, desde 2016. A montagem em cartaz* no Teatro da USP é mais uma tentativa de aclarar questões que emergem de um Brasil novamente esfacelado política e socialmente.

No palco, os três atores se alternam em mais de 20 personagens procurando traçar uma narrativa que abarque valores fundamentais da humanidade, como a bondade, a ciência, a justiça e o amor. Borghi afirma a necessidade de encenar peças como essa no momento atual, em que justamente esses valores parecem estar em risco. “A minha peça discute a liberdade de expressão, de pensamento, a possibilidade de termos uma dialética e diferentes formas de olhar o mundo. Só nos resta resistir, porque entregar a rapadura não é do nosso feitio. Há saídas, mas nesse momento sinto que estou num estupor, todo dia há uma notícia que nos deixa perplexos, que nos causa espanto. Mas depois precisamos encontrar forças para reagir”, diz.

* Texto atualizado em 12 de janeiro de 2020

O Que Mantém um Homem Vivo?. Com textos de Bertolt Brecht. No TUSP (Rua Maria Antônia 294, de quinta-feira a sábado, às 20h30, e domingos às 18h30. De 16 de janeiro a 16 de fevereiro. Ingressos a 20 reais.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome