Dura Lex Sed Lex, de Vianinha, é montada em São Paulo
Dura Lex Sed Lex no Cabelo Só Gumex, de Oduvaldo Vianna Filho, ganha montagem em São Paulo - Foto Rodrigo Kees

O grupo teatral Núcleo Arranca teve coragem para montar Dura Lex Sed Lex no Cabelo Só Gumex, peça escrita em 1967 por Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha. Há 50 anos, o Brasil vivia sob uma ditadura que perseguia a cultura, e o teatro buscou formas criativas de resistir. Vianinha resistiu. A história se passa em uma América Latina em conflito e com graves problemas sociais. Virgem Maria, ela própria, desce ao mundo dos latinos para tratar de questões envolvendo as eleições, o sistema político, o lúmpen e a classe média. Resulta numa montagem atualíssima.

Vianinha imaginou que Dura Lex Sed Lex… deveria caber no formato de teatro de revista. O italiano Gianni Ratto dirigiu a peça em 1968 com poucas apresentações no Rio de Janeiro. A censura da época obrigou que Virgem Maria se tornasse a princesa Isabel. Ratto imaginava uma montagem com 25 atores no palco, mas restaram 13. Com o Núcleo Arranca, são apenas 6 atores que se desdobram para dar conta dos papéis. Todos os integrantes se revezam no papel da agora ressuscitada Virgem Maria.

A montagem é levemente cômica, preservando o espírito do original de Vianinha. Os números musicais são bem executados, sem pretensões maiores, mas funcionam para contextualizar a história. A peça apresenta também algumas poucas remissões a fatos do presente, o que ajuda a aclarar que o passado não ficou tão sepultado como devia. É uma peça do estilo militante, sem que se pareça como tal. É teatro feito com garra, na base do chapéu e de recursos públicos. É daquelas encenações simples que merecem uma chance do grande público.

Dura Lex Sed Lex no Cabelo Só Gumex. De Oduvaldo Vianna Filho. No antigo Teatro do Funil (Rua Lopes Chaves, 72, São Paulo), sábados, às 20 horas, e domingos, às 19. Até 22 de dezembro. Grátis.

 

 

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome