Império Ricardense no Carnaval 2020
Império Ricardense leva a preocupação com o cinema brasileiro à avenida do Carnaval 2020, examinando a perseguição a filmes e cineastas.

A crise a que o cinema brasileiro foi empurrado nos últimos três anos será tema do Carnaval 2020 do Rio de Janeiro. A escola de samba Império Ricardense, do bairro de Ricardo de Albuquerque (Zona Norte do Rio), com 650 integrantes, agremiação do grupo de acesso ao especial da Avenida Intendente Magalhães, vai desfilar no domingo de Carnaval com o enredo De Carlota Joaquina a Bacurau, nosso cinema deu show e virou Carnaval.

“Vamos falar do cinema nacional da retomada de 1995 em diante”, disse o vice-presidente da escola, Sandro Moraes. A atual crise, provocada pela gestão temerária durante o governo Temer e a paralisação da Ancine durante o primeiro ano de Bolsonaro motivaram a escolha. “É uma preocupação grande, até porque, além de empregar muitas pessoas, é um canal direto com a população via entretenimento e comunicação”, afirmou Moraes.

A escola, fundada em 19 de abril de 2015, tem como amigo e diretor Adailton Medeiros, que é dono de um cinema popular do bairro chamado Ponto Cine. Ele ajudou a criar o enredo. A rainha do Carnaval da escola é a cantora Ranya, e em 2018 o tema foi a vida do ator e diretor Lázaro Ramos (ele e a mulher, Thais Araújo, desfilaram pela escola, além de outros atores e atrizes). No próximo Carnaval, pela abrangência e urgência do tema,  a escola resolveu fazer uma convocação geral para o desfile.

“Todos que amam o Carnaval, foliões, sambistas, cineastas, atrizes, atores, trabalhadores do cinema, cinéfilos e simpatizantes, o Carnaval 2020 do Império Ricardense é uma homenagem ao cinema brasileiro”, diz um texto nas redes sociais de arrecadação de fundos. “Mas pra botar ele completo na avenida tá faltando muito pouco e por isso precisamos da sua ajuda, da sua colaboração. É uma resposta a esse momento que estamos passando, nosso muito obrigado”.

 

G.R.E.S IMPÉRIO RICARDENSE – Letra do samba enredo

Compositores: Tiago Moraes, Alexandre Valle, Paulo Bispo, Rodrigo Sarmento, Edinho Gomes, Carlos Valerio, Cris Oliveira, Jc Saraiva, Márcio França e Carlinhos Ousadia.
Participação: Ronaldo Carvalho e Jacaré.
Intérprete: Nélio Marins
Presidente: Jatir Costa Junior
Vice Presidente: Sandro Moraes
Diretor de Bateria: Mariano Santos
Carnavalesco: Orlando Jr

QUANDO A LUZ DA SALA SE APAGAR
“CLAQUETE”!  TÁ NA HORA DA AÇÃO!
NA TELA, PROJETANDO SONHOS
APLAUSOS, SUSPIROS, EMOÇÃO…
EM CENA, A COMÉDIA E O DRAMA
ENCENA, MEU IMPÉRIO, ESSA TRAMA
“DE CARLOTA (JOAQUINA) A BACURAU”
A SÉTIMA ARTE VIROU CARNAVAL

NUM “JOGO DE CENA”, “CORONÉ” E JUIZ
PERSONAGENS DO CINEMA DE NOSSO PAÍS
JOGAM PRA PLATEIA, ACREDITE, SE QUISER
SÓ NÃO ENXERGA QUEM NÃO QUER

MAS “DEUS É BRASILEIRO”
E NESSE ROTEIRO O BEM VENCE O MAL
MESMO QUE A NOSSA SELEÇÃO
NESSA SUPERPRODUÇÃO
DEIXE O “MOLEQUE ” NA “CENTRAL”
“TRAPALHÕES” E “CEBOLINHAS”,
“MALUQUINHOS” E “CHACRINHAS”
IMITAM A ARTE E A ARTE IMITA A VIDA
SE “MINHA MÃE É UMA PEÇA”
PEÇO AJUDA À “COMPADECIDA”

RICARDENSE, É POR TI MEU CANTO
NÃO SAI DE CARTAZ ESSE AMOR SEM FIM
TEU OURO, VERDE, VEMELHO E BRANCO
É O QUE ME FAZ CANTAR ASSIM

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome