O amálgama de Jorge Helder

Se há um denominador comum entre a música de Chico Buarque, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Miúcha, Gal, Elza Soares, Roberto Carlos, Ney Matogrosso, Cássia Eller, Tom Jobim, Dorival Caymmi, ele atende pelo nome de Jorge Helder. O contrabaixo de Helder já permeou obras de toda essa galáxia de estrelas em mais de 350 discos, postando-se no firmamento...

O nordestino sem preconceitos Zé Ramalho

O roqueiro-emepebista-blueseiro-etc. paraibano, um dos maiores artistas brasileiros vivos, estreia seu selo própio, Avôhai Music, com o inédito "Sinais dos Tempos". Olhares e ouvidos se voltam para a memória do pernambucano Luiz Gonzaga (1912-1989), neste ano em que se completam cem anos de seu nascimento. "O tempo corre mais ligeiro/ o calendário resumiu-se a quase um mês/ pelo rio...

A freeway que leva ao Paraíso

A van saiu de Montevidéu na noite de quinta-feira, 11, com 10 homens dentro: sete músicos, dois motoristas para revezamento de direção e um técnico de som. A viagem durou 26 horas e atravessou 1,7 mil quilômetros desde os pampas uruguaios e gaúchos até as lavouras do Norte do Paraná. A van trazia a banda uruguaia Buenos Muchachos para tocar...

Preta Gil, no ataque e na defesa

"Tem que ser branco, tem que ser alto/ tem que ser magro, tem que ter saldo no banco/ tem que ser sábio, tem que ser hétero/ tem que ter cabelo e tem que ter carro do ano/ tem que ser bilíngue, tem que ser beautiful/ tem que ser formado e tem que ter cartão de crédito/ tem que ser...

Chico Buarque de Hollanda era Aurora era Amélio era Aurélia…

  O narrador perdido no tempo-espaço dos livros Estorvo (1991), Benjamim (1995), Budapeste (2003) e Leite Derramado (2009) invadiu de vez a música popular brasileira. E não parece ser mais um personagem de ficção, pois o primeiro disco de canções inéditas de Chico Buarque em cinco anos se chama, simples e explicitamente, Chico. Aos 67 anos, o maior herói da politizada...

Amei Star Wars, esse filme de bosta

Imaginem um crítico de cinema bipolar: ah, como eu amei esse filme; putz, como eu odiei esse filme. Agora imaginem que ele vai resenhar o filme que é o território sagrado de um exército de nerds, do tipo que ameaça os que discordam dele. Bom, temos então como brincadeira do dia esse bizarro desafio: um crítico binário, de dupla personalidade,...

De quando o blues sacode a metrópole

  Os nomes históricos do blues estão quase todos desaparecendo: B.B. King morreu, Dr. John morreu, James Cotton morreu. Por isso, quando um cara como o bluesman Roy Rogers, de 68 anos, está de passagem pela cidade, é bom tirar um tempo que você provavelmente nem tem para vê-lo, porque ele é uma ponte entre mundos. Roy tocou com John Lee...

Pressão & frisson nos Brasis

Dos discos que têm me interessado, falo do que mais me emociona. Aquele que me pegou pelo ouvido, pelo quadril, pelo coração. Um dos álbuns brasileiros mais aguardados dos últimos tempos: Treme, de Gaby Amarantos. Nem vou citar o fato dele ter tido por trás de si um marketing ímpar ou de que, há um ano, talvez, seria impensável todo...

A babel em que todo mundo se entende

Portuñol. Still: Pedro Clézar/ Divulgação
A expressão "portunhol" sempre foi usada, em geral pejorativamente, referindo-se a um espanhol mal falado, quase sempre fruto da displicência de brasileiros que acham que a língua espanhola é apenas um português enrolado, no que se enganam redondamente. O tema foi levado a sério a partir do início dos anos 2000, por iniciativa de um grupo de escritores encabeçado pelo...